Economia compartilhada: como funciona e qual sua relação com a mobilidade?

,

16 set 2020

Você tem ouvido falar da economia compartilhada, mas ainda restam dúvidas sobre o assunto? Não se preocupe! Neste post, vamos explicar o que ela é e apresentar as principais informações sobre o tema. Então, se você quer entender como tudo funciona e qual é a relação desse conceito com o setor de mobilidade e transporte, leia este artigo até o fim.

Por meio desta leitura, você vai conseguir compreender para que serve esse novo modelo econômico e também qual é a origem da economia colaborativa. Conheça os principais benefícios dos modelos compartilhados e seus detalhes, bem como as vantagens oriundas da economia compartilhada. Ficou curioso? Siga em frente!

Qual é a origem da economia colaborativa?

O termo “colaborativo” surgiu em 1978, em textos de pesquisadores conhecidos, como Marcus Felson e Joe L. Sppaeth. Mas a economia colaborativa somente teve início durante a crise mundial do ano de 2008, quando os consumidores começaram a procurar alternativas de redução de despesas diante da diminuição do seu poder aquisitivo.

O movimento surgiu para que as pessoas pudessem colaborar umas com as outras, com possibilidades advindas das novas tecnologias. As comunidades virtuais se conectaram, e os usuários passaram a realizar transações por meio da internet e seus celulares. Todavia, a visão da economia colaborativa ganhou espaço definitivo a partir de 2010.

Na época, Rachel Botsman e Roo Rogers foram os responsáveis pela criação dos conceitos do consumo colaborativo, que se referiram especialmente a estilos de vida e à partilha de bens e serviços. Atualmente, a economia colaborativa está presente em inúmeras atividades, por exemplo, propriedades compartilhadas, trocas, compras, aluguéis, empréstimos e assinaturas.

O que é a economia compartilhada?

Trata-se de um modelo econômico que tem as suas bases no consumo colaborativo e nas atividades de compartilhamento de produtos e serviços. As pessoas poupam recursos naturais e financeiros e aproveitam melhor os recursos ociosos, buscando o uso adequado entre diversos indivíduos e não tendo como prioridade a posse. Esse novo sistema se baseia em 5Rs:

  • reduza;
  • reuse;
  • recicle;
  • repare;
  • redistribua.

As empresas que se classificam como adeptas da economia compartilhada devem beneficiar os seus consumidores com o acesso aos serviços e bens subutilizados. Além disso, o negócio deve ter a sua construção nas redes descentralizadas, em aplicativos e nas plataformas digitais, promovendo a sensação de responsabilidade coletiva e benefício mútuo.

Como funciona a economia compartilhada?

Os princípios da economia compartilhada estão modificando a visão dos empresários quanto à oferta e à demanda no mercado. Ela também está mudando os relacionamentos entre pessoas e o modo como elas lidam com os bens materiais no seu cotidiano. Se em determinado momento a tecnologia nos afastou, agora ela faz parte do apelo para que todos se reúnam.

Novos laços são criados todos os dias, os valores são transformados e os relacionamentos passam a ter uma enorme importância para o sucesso profissional e pessoal. A revolução tecnológica realmente chegou para mudar o mundo e facilitou o funcionamento da economia compartilhada. Na opinião dos autores especialistas, esse novo modelo apresenta três fatores basilares, que dão sentido ao sistema:

  • mercados de redistribuição: itens que não são mais usados devem ser remanejados e colocados à disposição para quem necessite deles;
  • estilos de vida colaborativos: comunidades devem se reunir para compartilhar espaços, serviços, bens e, inclusive, o tempo;
  • sistemas de acesso a bens e serviços: usuários podem pagar para acessar produtos ou serviços durante certo tempo, sem precisar comprá-los.

Vale destacar que as mudanças estão acontecendo agora, em todas as partes e culturas e em escala global. Por isso, é importante estar sempre atento às novas oportunidades oferecidas pela economia de compartilhamento, tendo em vista que ela veio para melhorar a qualidade de vida e auxiliar no enfrentamento da crise econômica do mercado internacional.

Qual é a relação entre economia compartilhada, mobilidade e transporte?

O transporte público há algum tempo passou a ofertar serviços para um contingente elevado de usuários, de modo que os ônibus nos grandes centros estão sempre lotados, não dando conta de transportar tanta gente. As pessoas começaram a viajar em pé, sem ar-condicionado e de modo muito desconfortável.

Assim, a economia compartilhada se fez presente no setor de mobilidade e transporte, pois surgiu como uma solução que beneficia os empreendedores, os usuários e, principalmente, o meio ambiente. Com o uso de alternativas de compartilhamento de carona, tornou-se possível economizar mais, e uma parte dos veículos particulares também saiu das ruas. Portanto, a economia compartilhada:

  • melhorou significativamente a qualidade de vida de todas as pessoas;
  • reduziu o número de automóveis no trânsito;
  • diminuiu a ocorrência de acidentes e brigas ocasionadas pelo estresse.

Além do mais, possibilitou a interação entre pessoas, mudando a mentalidade individualista e consumista da maioria. Hoje, parte da população já faz reflexões sobre cooperação e preservação da natureza e está fazendo o uso de caronas compartilhadas para ir ao trabalho, pois tem consciência da necessidade de reduzir a emissão de gases poluentes na atmosfera.

Por outro lado, as empresas tiveram redução significativa nas despesas com transporte de seus colaboradores, uma vez que podem oferecer vale-combustível, incentivando as caronas compartilhadas. Dessa forma, as vagas dos estacionamentos das organizações ficam liberadas para receber clientes e outras pessoas que precisam acessar as estruturas.

Para que serve esse novo modelo econômico?

A principal função desse modelo econômico é proporcionar a ampliação do acesso aos bens e serviços de forma sustentável, os quais devem ser utilizados por todos de maneira racional e consciente. O objetivo é propiciar a otimização dos produtos existentes, dispensando a necessidade de produção e aquisição de novos bens, tendo como fundamento três pilares:

  • econômico;
  • ambiental;
  • social.

Fora isso, a economia compartilhada serve ainda para reduzir os custos dos usuários e gerar renda para os empreendedores. As práticas por ela estimuladas permitem a economia de dinheiro, diminuem a utilização de recursos naturais e geram vantagens para toda a sociedade. As informações são fornecidas ao público para que ele elimine o desperdício e valorize o meio ambiente.

Quais são os principais benefícios dos modelos compartilhados?

Como você pode observar, são inúmeras as vantagens obtidas a partir dos modelos compartilhados. Eles atingem todas as esferas da vida humana, interferindo profundamente nas questões sociais, ambientais e econômicas. Veja a seguir alguns benefícios interessantes:

  • democratização do acesso aos bens e serviços;
  • preservação dos recursos naturais;
  • redução dos impactos negativos no meio ambiente;
  • fortalecimento dos laços de confiança entre as pessoas;
  • consumo sustentável de produtos e serviços.

Enfim, agora você já sabe o que é a economia compartilhada e entende o quanto ela é importante para o futuro da humanidade. Ela é relevante nos setores de mobilidade e transporte, visto que o uso compartilhado de veículos minimiza a poluição do ar, que é indispensável para a manutenção da saúde e da vida em nosso planeta. Pegue carona nessa ideia e faça a sua parte!

Se você deseja obter mais informações sobre a possibilidade de organizar caronas corporativas na sua empresa, entre em contato conosco agora mesmo!

Compartilhar nas redes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.
Todos os campos abaixo são obrigatórios.

Procurar

Guia de mobilidade corporativa.

Saiba como aumentar a eficiência e reduzir custos de transporte na sua empresa.

Assine nossa newsletter

Últimos posts

Mês de publicação

Leve o Bynd para a sua empresa ou universidade

Baixe o Guia de Mobilidade para a Retomada

Preparamos um material para auxiliar sua empresa na retomada das atividades, garantindo segurança no deslocamento dos colaboradores. Conte conosco!